O Intercambio do Ki com uma árvore 樹林気功

Jurin kikoEinstein

Anteriormente, escrevi um artigo sobre o Ki. O defino como “a fonte ou a energia que dá vida”. Analisamos que o universo em si, é compreendido de pura energia, assim também a matéria é energia como nos mostrou Einstein: E = MC2.

Isso significa que a energia está em todos os lugares, em diferentes formas e níveis.

 

 

Nós, os asiáticos, estivemos fazendo um intercâmbio de Ki com as árvores durante muitos séculos. Mas algumas pessoas entendem equivocadamente essa troca, como se a energia fosse tomada de fora da árvore. Um dos leitores, inclusive, chegou a chamar isso como ato de vampirismo. Estava totalmente enganado…

 

O Ki é como o amor, de modo que quanto mais doas, mais terás. Ao estar frente a frente com uma árvore, só trocará o Ki e não se tirará o Ki do redor dela. No entanto, você envia seu Ki (procure escolher vendo uma árvore saudável e velha) e a árvore vai purificar e recuperar essa energia. Assim, ela te devolverá a tua energia purificada.

 

Isso é similar ao ar que trocas com as árvores. Tuas células pulmonares emitem dióxido de carbono e retém o oxigênio. Como sabem, as plantas tomam o dióxido de carbono que foi exalado e devolvem o oxigênio que vais respirar. Uma árvore faz um intercâmbio similar com teu Ki.

 

Este é um círculo completo da natureza e por isso sentirás que terás ganhado novas energias. Para aqueles que são céticos sobre o Ki e seu intercâmbio, leia o seguinte artigo do link “Desconectar da Mente”

(The Mind Unleashed – “Tree Hugging Now Scientifically Validated”)

http://www.themindunleashed.org/2013/07/tree-hugging-now-scientifically.html

 

Tai_chiSe visitastes a China ou Taiwan, é possível que tenhas visto muitos chineses se reunirem num parque cedo pela manhã. Com muitas árvores ao redor, repassam os movimentos lentos do treinamento do “Tai Chi”. O fazem entre as árvores, mas não porque necessitem da sua sombra.

Enquanto praticam “Tai Chi” no bosque, na verdade eles estão é ganhando Ki desde um treinamento com uma respiração abdominal lenta e também trocando o Ki com as árvores ao redor deles.

 

A troca do Ki pode pode ser feito não somente com uma árvore, mas também com muitos outros elementos da natureza tais como: uma montanha, rio, cascata, lago ou mar e o sol, já que todos têm muita energia.

Two treesPodes intercambiar ou consumir a energia Ki, mas também tem que ter cuidado de como fazê-lo com as fontes fortes do Ki, tais como uma montanha vulcânica e o sol. Trocar o Ki com uma árvore é o mais comum, porque o Ki de uma árvore é suave e é mais fácil de encontrar como uma companheira de intercâmbio.

Os chineses treinam “Tai Chi” cedo pela manha não porque eles tem que ir trabalhar depois (mesmo porque, a maioria deles são anciãos aposentados). Se treinam cedo pela manhã, é porque sabem que o Ki da manhã tem mais energia porque cedo, o sol está dando uma energia suave.

 

 

Fall 2Para muitas pessoas é mais difícil encontrar energia para treinar cedo pela manhã, mas é muito mais saudável fazer o treinamento pela manhã que pela noite. Teu corpo se encontra ainda no sono por isso o exercício de movimentos lentos do “Tai Chi” é perfeito para começar o dia, já que lhe despertará com uma energia Ki adicionada. Os chineses sabiam disso, durante milhares de anos e agora quase se tornou em um hábito nacional.

 

Te darei as instruções, passo a passo, sobre a maneira de intercambiar o Ki com uma árvore. Não é tão difícil, mas isso pode ajudar que conheças alguns pontos chaves. Antes de entrar no intercambio do Ki, quero mencionar sobre como é considerada uma árvore (e outros elementos da natureza), na Ásia, particularmente no Japão. Quando visites Japão, dá um passeio num antigo santuário. Pode ser difícil encontrar um em Tókio, mas si tens a sorte de visitar Kyoto ou outras cidades menores, há muitos.

Rock and shimenawaPoderás encontrar uma árvore no pátio de um santuário (e às vezes numa montanha, longe de um santuário), uma faixa de papel ou uma decoração (ver foto a esquerda). Isso significa que esta árvore, particularmente é santa ou tem um Ki forte. As pessoas rezam ou tratam de capturar a energia, o Ki dela.

 

Não é simples idolatria o que nós (ou alguns de nós) podemos sentir pela energia especial emitida por certa árvore. Geralmente é uma árvore velha, apesar de que a idade em si não seja a causa.

Pode ter outras árvores que podem ser maiores e mais antigas, mas, um  sacerdote Shinto detectou com a sua percepção, uma árvore especial com o seu Ki.

 

 

 

É muito interessante recordar que no meu Dojo, no Japão, tivemos num  acampamento de inverno numa cascata quando a água estava quase congelada   Quando participei, há anos, eu acreditava que era só para por em prova nossa resistência ao frio. Mas agora sei que estava enganado. Também era para ganhar o Ki da cascata.

 

Nosso acampamento de verão estava na praia quando a temperatura subiu a 40 graus C (mais de 100 graus F).karate at a fall 4

A areia era tão quente que era quase impossível estar nela. Estávamos muito contentes por entrar no oceano… Pareceu-me que a prática de socos e pontapés nas ondas era para treinar as posturas, mas estava enganado. Estávamos aí para ganhar o Ki do oceano. Apesar de que, não éramos conscientes, estou certo que esses treinamentos eram bons para nosso Ki.

 

Ok, agora vamos entrar num treinamento de intercambio de Ki com uma árvore. Em primeiro lugar, permitam me dizer que voc não estás tomando a energia de uma árvore. Como utilizei a palavra “intercambio”, tu estarás trocando a tua energia Ki com uma árvore. Não a mesma coisa que faria um vampiro, sugando a energia de uma árvore. Algumas pessoas entendem mal este exercício por isso quero explicar que este processo se assemelha mais com uma filtragem do teu Ki através de uma árvore para purificá-lo.   Si escolhes uma árvore saudável e estável, ela pode voltar a gerar o Ki, por assim dizer. O teu Ki quase se sente como si tivesse ganhado mais Ki, mas na realidade, é algo diferente.

 

Agora te darei os passos de forma detalhada e a explicação em cada passo para intercambiar o Ki com uma  árvore:

 

Passo 1 (Encontrar um cenário e o seu companheiro):

 

 

Procura uma árvore para fazer um intercambio de Ki, à medida que avança num parque ou uma zona de bosque. Necessitarás uma que seja saudável e deves ir tratando de abrir teu coração à medida que busques uma árvore. É quase como buscar um amigo. Sentir o Ki de cada árvore e encontrar o que mais se aproxima a ti. Se abres tua mente, poderás sentir. Mesmo assim, sei não sentes nenhum convite em relação a uma árvore, deverás continuar procurando, até que encontres uma que seja atraente para ti. Se tens o hábito de acampar e passar tempo na natureza estou certo que entendes o que estou querendo dizer.

Pode fazer o exercício do intercambio por si mesmo (foto 1), com um grupo (foto 2) ou com muitas pessoas repartidas (foto 3).

 

Foto 1                                                                                  Foto 2

 

in a groupin a group

Foto 3

8

 

 

 

 

 

Passo 2 (Posicionamento):

 

No Japão, antes que comecemos nosso intercambio Ki, nos inclinamos a nosso companheiro. Se sentes um estúpido como para submeter se a uma árvore, podes começar com uma simples saudação a árvore.

Ok, depois de encontrar seu “companheiro” se aproximará da árvore com as mãos. Poderás por tuas manos ao redor, dos lados da árvore (Foto 1) ou sinalar suas palmas na direção da árvore (Foto 2). Inclusive poderá tocar a árvore com as mãos (Foto 3). Tudo depende de ti, se pode escolher qualquer dos enfoques, o que sinta mais a vontade.

6

Então, estarás parado normalmente em posição “shizentai” e o corpo deve estar totalmente relaxado. Tu não estás ai para absorver toda a energia da árvore, mas sim, para intercambiar e para fazer circular tua energia por essa razão é que o relaxamento passa a ser uma necessidade. Pode manter seus olhos abertos ou fechados. Algumas pessoas preferem manter-los fechados para que possam centrar sua atenção no processo de troca ou de circulação de Ki. Se poderá detectar ou notar os sentimentos da árvore antes do intercambio de Ki, então o seu exercício de intercambio seguramente se converta num êxito.

 

Passo 3 (Começar o intercambio):

 

Por tanto, estás de pé perto da árvore com os braços estendidos na direção dela. As mãos se utilizam para que envies o teu Ki ou para receber o Ki da árvore. De pé, com o seu corpo totalmente relaxado concentrado só no envio ou recepção do Ki. Este processo não é um duro intercambio como uma descarga de “volley” ou uma mesa de “ping pong”, mas sim, mais parecido a una respiração lenta, onde o Ki se usa como si fosse um substituto do ar que entra e sai. Quando te sintas forte, podes emitir teu Ki para a árvore e ela te o enviará de volta com mais energia ou uma energia mais feliz. Receberás esse Ki refrescante em todo o corpo e te sentirás como si quase saltasse com a energia. Quando te sintas fraco ou quando estejas doente e teu corpo necessite Ki, utiliza as tuas mãos para receber ou inalar o Ki de uma árvore.

Em outras palavras, se sente como que estivesses respirando o Ki através das tuas palmas das mãos. Logo exala o teu Ki mau ou velho, no chão através dos teus pés. A árvore levará o teu Ki através do solo e o purificará para ti.

18Funciona muito melhor se fazes com a respiração profunda, “Tanden” (parte baixa do estômago). Com essa respiração podes circular teu Ki no teu corpo enquanto recebes o Ki purificado.

Durante o processo de troca, podes sentir o amor a árvore desde o interior do teu coração ou recebê-lo da árvore.

Tenho visto alguns praticantes em prantos de alegria. Se tens a sorte de sentir seu amor, podes lhe dar um abraço no final da sessão antes de sair. Também se pode dizer obrigado ao companheiro de intercambio de Ki.

Espero que possam sentir que esta árvore também está viva e é uma parte da tua vida.

Durante o processo se pode ajustar a distancia das mãos em relação à árvore. Mantenho as minhas mãos ao redor da árvore, de 30 cm para menos. Mas se pode adaptar uma distancia pessoal ou própria. Realmente não importa si está perto ou longe, poderás encontrar uma posição cômoda com a pratica, quando faças este intercambio depois de muitas vezes. Geralmente eu não a toco porque a sensação da crosta da árvore nas minhas palmas obstrui a sensibilidade nelas.

 

Passo 4 (Intercambiar):

 

Continuarás o intercambio de Ki dando o tempo que desejes estar. Podes fazê-lo só durante 10 minutos, uma hora ou inclusive mais tempo. Podes descansar um tempo e encontrar outra árvore si 2sentes vontade continuar. Durante uma sessão de intercambio de Ki, a maioria das pessoas simplesmente fica perto de uma árvore e concentram sua atenção no processo de intercambio Ki. Às vezes eu caminho ao redor da árvore, quase como se estivesse dançando, movimentando as minhas mãos. Podes sincronizar tua respiração com teus passos e, em pé, chegará a ser como fazer um “kata” na volta da árvore, então poderás entender como os praticantes de “Tai Chi” o estão recebendo a cada manha.

Inclusive me dou volta expondo as costas para a árvore para uma completa exposição. Trato de inalar o Ki as minhas costas através da coluna vertebral e deixo o Ki viajar até encima na minha cabeça.

3

Algumas pessoas acreditam que ao tocar na árvore se pode obter um Ki mais forte. Esta pessoa na foto (a direita), está em contacto com sua cabeça na  árvore para receber o Ki mais forte com a esperança de aliviar sua dor de cabeça.

Eu não sou “expert” nisso, mas não estou certo de que ele, ao fazer isso, possa receber um Ki mais forte. No meu caso, posso sentir mais Ki se não toco na árvore. Por tanto, suponho que depende do individuo para determinar qual método funciona melhor para si.

 

Passo 5 (Acabado y desconexão do cenário):

A conexão é importante, mas esta fase de finalização também é muito importante e não deves fazê-la de forma repentina ou impessoal. Devagar, abra seus olhos si estão fechados.16 Si pudestes fluir desfrutando com o intercambio, no teu rosto deverá ver se um sorriso natural.

Relaxe seus braços e baixe-os à medida que se desconecte do vínculo da árvore. Não se afaste e nem dê a volta imediatamente ou rapidamente. Isso seria a mesma coisa que “zanshin” no Kata, deixar ir um ser amado ou um amigo próximo logo depois de um abraço carinhoso. Deve ter esse momento de completa finalização. Deve permanecer ali durante 15 ou 30 segundos olhando a árvore com sua gratidão e possivelmente com teu carinho. Poderás agradecer-lhe e dizer-lhe que gostastes e que voltarás. Nós, os japoneses, nos encurvaremos antes que nos afastemos da árvore. Si podes sentir um afeto ou uma amizade com a árvore, como já tinha sugerido anteriormente, podes abraçar a árvore como farias com um amigo. Às vezes dou golpezinhos ou acaricio a árvore para agradecer, antes me inclinando a ela como que, despedindo-me.

Poderia até gosensei_treearantir que este seria um dos encontros mais agradáveis da tua união com a natureza.

Foi dito por muitos Mestres de Budo como: Ueshiba (Aikido), Funakoshi (Shotokan), Uehara (Motobu-ryu), Hatsumi (Ninjutsu) y Asai (Asai-ryu) que o Ki é a parte mais importante das artes marciais. Assim, pois, desenvolver o Ki é extremadamente importante no “Karate bujutsu”. Também ajuda na sua saúde mental e física.

Por tanto, eu o recomendo a todos os praticantes de karate, que tentem este exercício para sentir o seu Ki. Não terão nada a perder por tentar-lo.

Inclusive se não podes sentir o intercâmbio ou o próprio Ki, ao menos terás um momento agradável e relaxante no bosque.

Assim que… Porque não tentar este intercâmbio de Ki com uma árvore quando visites um parque na próxima vez?

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *